domingo, 14 de março de 2010

Geminação Montargil - Olivença

Ao defender a cultura portuguesa que mesmo decorridos séculos é parte inseparável das raízes oliventinas, a Associação Além Guadiana está igualmente a prestar um relevante serviço em especial à memória do povo alentejano. «Não nos podemos esquecer que aos dois séculos de soberania espanhola se contrapõem cinco séculos de soberania portuguesa» e que querer varrer da memória colectiva de UM POVO as suas tradições - estamos a falar em termos "etnofolclóricos" - é um crime de lesa cultura. Até porque a "verdade antropológica" desse mesmo povo nada tem a ver com questões de soberania.

Chamam a Olivença a cidade das duas culturas, o que pode significar uma enorme riqueza cultural, se a sua junção se fez naturalmente, por obra e graça da vontade popular, sem quaisquer peias, sem quaisquer amarras de ordem política a qual, sendo embora a ciência que governa o povo, não coabita lá muito bem com as coisas do espírito.

Entretanto, e mudando de assunto, não conheço Olivença, nunca estive em Olivença, mas em Montargil esteve um oliventino, o conceituado médico Dr. José Guerrero, que pela sua postura humanista, tendo em cada utente um amigo, ao partir deixou saudades. E estou convicto, só o seu apego à família - todos os dias ia ficar a casa - o levou a ir para mais perto.

Que me seja, pois, permitido saudá-lo, aqui de Montargil, deste pedaço do Alentejo que um historiador e um sociólogo consideraram «ser a junção da alma alentejana com a charneca ribatejana».

Lino Mendes

Sem comentários: