quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Adeus 2009...

O sistema económico capitalista revelou-se em todo o seu esplendor: a ganância de lucros que lhe está nos genes atirou países para a bancarrota, atirou milhões para o desemprego, fez estagnar o desenvolvimento económico.

Os teóricos do capital reconheceram que afinal Marx está vivo e de boa saúde…

Neste rescaldo a eleição de Obama foi pela primeira vez na história um sufrágio a nível mundial: quem votou foram os americanos, mas todo o mundo “torceu” pelo candidato democrata.

O entusiasmo foi tanto que o Comité Nobel até lhe atribuiu o Nobel da Paz. Agora, como diria Micael Moore, só lhe falta merecê-lo.

Na América Latina a “coisa” volta a mexer. Os autóctones elegem os seus, reclamam as suas terras e as suas riquezas naturais contra as oligarquias, a direita militar volta a mostrar os dentes aqui e ali, grandes movimentos sociais evoluem para formas democráticas de reivindicar o que é seu.

Na Europa mais do mesmo. Não tivemos direito a um Obama. Temos que nos resignar com Durão Barroso à frente dos nossos destinos.

A Irlanda – modelo badalado de recuperação económica – está a cortar no salário dos funcionários públicos. A Grécia apresenta déficit’s de muitos dígitos. Por cá, líderes do PSD afirmam que Portugal pode seguir os passos do Dubai e José Sócrates bate o record do desemprego.

Sem ninguém lhe pedir conselho (os velhos hábitos custam a desaparecer…) o FMI vem dizer o que é aconselhável para o nosso país: Bloco Central a governar, congelamento do salário mínimo e das reformas, congelamento dos salários na Função Pública.

A democracia que Bush levou ao Iraque está cada vez mais consolidada: são já centenas de mortos por dia. No Afeganistão a NATO envia tropas para defender um corrupto que se mantém no poder à custa de eleições manipuladas.

EUA e China estão com dúvidas sobre a melhor maneira de reduzir as emissões de CO2 e salvar o Planeta. Adoptar medidas controladoras da poluição custa dinheiro e os maiores poluidores do mundo não querem reduzir os lucros.

Este ano foi também o aniversário da queda do Muro. Era ali que caía a última das tiranias e todos seriam felizes não era? Pois…

Bom Natal!

(Luis Mariano)

1 comentário:

Anónimo disse...

Finalmente o Bloco a fazer alguma coisa... Ainda bem.